sexta-feira, 13 de março de 2009

Presas mulheres que falsificavam receitas médicas

Por Renata Rocha Cardozo

De acordo com informações do jornal A Tribuna, uma funcionária de um posto de saúde da Prefeitura de Criciúma e outra de um laboratório de análises clínicas particular foram presas em um esquema de compra e venda de remédios.

Segundo a Central de Polícia, o esquema vinha sendo investigado desde o ano passado, após receberem denúncias da Vigilância Sanitária sobre receitas médicas falsificadas.

A funcionária do laboratório foi presa no bairro Cidade Mineira e confessou que roubava as receitas de diferentes unidades da cidade e as repassava para a outra mulher, presa no bairro Vila Manaus, que tinha os carimbos médicos (também roubados) e falsificava assinaturas de médicos.

Com as duas foram encontrados cerca de 30 receitas de remédios controlados, sete carimbos médicos e centenas de medicamentos.

A funcionária do laboratório (44 anos) responderá pelo crime de falsidade ideológica, recepção de produtos furtados e tráfico de drogas. Sua comparsa deverá responder em liberdade pela prática de furto, já que confessou o crime.

Polícia Civil e Militar combate o tráfico de drogas em Criciúma

Por Vanessa Amando

Na madrugada desta quarta-feira (11), por volta da 1 hora, a Polícia Militar prendeu N.A.M., 19 anos, em flagrante. Segundo informações da Rádio Criciúma, o jovem portava 49 pedras de crack quando foi abordado pelos policiais, no bairro Bela Vista. Junto com ele, também foi preso R.B.N. de 27 anos, por ter comprado dez pedras da droga. Os dois foram conduzidos à delegacia.

No mesmo dia, logo pela manhã, a Polícia Civil de Criciúma prendeu mãe e filha por tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico. T.S.S., 62 anos, e R.S., 37, foram presas na sua própria residência, no bairro Tereza Cristina, onde também foram encontradas drogas, uma balança de precisão, munição para arma de fogo e dinheiro.

Conforme relatou o delegado André Milanese ao
Jornal da Manhã, a droga pertence a A.S.P., 32 anos, filho de T.S.S. Ele usa a casa da mãe para preparar e esconder a droga que revende, enquanto sua irmã auxilia na venda. No momento da prisão, o homem não foi encontrado.

Mais informações aqui.