quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Acidente mata irmãos e deixa quatro feridos

Por Cíntia Silveira Brigido
Araranguá

Seis jovens vinham de Balneário Arroio do Silva com destino a Araranguá quando colidiram o carro contra uma árvore, no domingo (23). Dois irmãos perderam a vida. Os outros ocupantes sofreram apenas lesões leves.

Ricardo Bitencourt Tessari, 16 anos, teve morte instantânea, e o irmão Diego, de 19, foi levado ainda com vida ao Hospital Regional de Araranguá, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu .
Já Vanessa Martins Vanier, de 22 anos, está em estado grave. Ela permanece na UTI do HRA.

A jovem sofreu traumatismo craniano. O outro integrante da família que estava no carro, Rodrigo Bitencourt Tessari, 16 anos, sofreu lesões leves. Ele é irmão gêmeo de Ricardo. Fabrícia Cristina Fernandes, de 23 anos, e Welington Foss Walker, de 20, também tiveram ferimentos leves.

Conforme a Polícia Militar de Araranguá, Welington perdeu o controle do carro. Os policiais apontam a chuva como um dos fatores que levou à perda da direção. Eles não souberam dizer se o automóvel estava em alta velocidade.

Com o choque, os ocupantes foram atirados para fora do Fiat Palio MAG-3036. O carro, que comporta apenas cinco passageiros, é de Balneário Arroio do Silva. O acidente ocorreu no km-39 da SC 449.

Corpo de homem é encontrado no rio


Por Cíntia Silveira Brigido
Praia Grande

Por volta das 20 horas desta quarta-feira (23), um corpo foi encontrado na comunidade de Poço Negro, entre Praia Grande e São João do Sul. O corpo do homem foi avistado pelo dono do terreno, que ficou bastante assustado.


A Polícia Militar aguardou no local pela chegada do IML e do Corpo de Bombeiros para retirar o corpo, que estava preso em um barranco de areia no rio Canoas. O IML precisou da ajuda de um trator para chegar até o local.


A PM de Praia Grande desconfia que o homem seja foragido do Presídio do RS. Eles acreditam que o corpo seja procurado pela justiça, conhecido como Toni Cleber. Ele teria sido solto através de um indulto de Natal do ano passado, quando alguns presidiários ganham liberdade para passar as festas de fim de ano com os familiares , e não teria voltado.


O corpo estava bastante machucado, principalmente no rosto. Muitos ferimentos na região da cabeça e rumores de que ele estaria com as pernas amarradas. O homem moreno, não muito velho, alto, vestia uma camisa preta de um hotel de Praia Grande e usava uma calça jeans.

A Polícia continua com a investigação, mas, até o momento, ainda não foram confirmadas as suspeitas.