quinta-feira, 19 de junho de 2008

Droga de elite

Por Talise Freitas
Foto: Divulgação

A operação contra as drogas sintéticas deu-se início quando um suposto traficante ofereceu ecstasy para um policial civil, trabalhando de segurança, em uma casa noturna.

Um estudante de Engenharia da Unisul foi pego com cerca de 300 comprimidos da droga vindo de Laguna para Criciúma, comprovando assim que na cidade existe um comércio muito grande do entorpecente.

Com a continuidade e a preocupação dos agentes da Central de Polícia em combater o comércio ilegal, foram presas ao todo, oito pessoas acusadas de envolvimento com o tráfico em todo o Sul do Estado, três de Treze de Maio, um de Morro da Fumaça, dois de
Florianópolis e um de Criciúma.

O delegado Airton Ferreira tentou conscientizar os donos de casas noturnas adeptas da música eletrônica. “Mais ninguém se manifestou’’, conclui a autoridade.

O ecstasy é um comprimido que provoca alucinações, muito utilizado em festas
eletrônicas e têm o valor mínimo de cinqüenta reais, justificando assim que os
usuários da droga possuem grande poder aquisitivo.